Translate

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Autofelação

APRESENTAÇÃO - Um dos assuntos da sexualidade que tem sido maior tabu através dos tempos, a auto-felação costumeiramente é confundida com a homossexualidade ou o egocentrismo, e muitas vezes é vista como uma atividade "marginal" ou "imoral". Mas no presente artigo, vamos "desmistificar" algumas destas falsas idéias, e falar abertamente sobre porque, como, quem, quando e para quê utiliza a auto-felação. Ao final do artigo, iremos contrapor algumas verdades e mentiras, visando afastar qualquer idéia errônea ou preconceituosa sobre o tema.
DEFINIÇÃO - Chama-se de "auto-felação" ou "auto-felatio" todo tipo de prática de sexo oral em si mesmo, ou seja, no qual o homem ou a mulher se utiliza da boca para estimular o próprio genital. Existem diferentes formas e variações de auto-felação, de acordo com as possibilidades e vontades do praticante, e não necessariamente esta prática resulta em ejaculação ou orgasmo. Devido às suas especificidades, existem diferentes maneiras de definir a auto-felação: como um tipo de masturbação, uma modalidade do sexo oral, ou "uma forma mista de atividade sexual". Ainda que seja bem mais comum na juventude, a auto-felação é também praticada por alguns homens e mulheres na vida adulta, sendo às vezes utilizada como preliminar em uma relação a dois, como complemento, ou conjugada com outras práticas sexuais.
MENTIRAS - Algumas falsas "crenças" caracterizam a auto-felação como prática exclusivamente homossexual, no entanto ela tem sido sempre utilizada por muitos heterossexuais, e não resulta necessariamente em um abandono das atividades sexuais com parceiros do sexo oposto. Um estudo feito nos EUA e na Europa apontou que 80% dos homens heterossexuais já experimentou ou desejou se utilizar da auto-felação; o mesmo estudo obteve o resultado de 78% entre os bissexuais e 77% entre homossexuais. Com as mulheres o resultado foi o seguinte: 68% das heterossexuais; 57% das bissexuais e 40% das homossexuais.
Na mesma pesquisa foi verificado que dos homens hetero que praticaram auto-felação, nenhum demonstrou desinteresse pela relação a dois. Com as mulheres, apenas 2% das praticantes demonstraram desinteresse pelos relacionamentos sexuais com parceiros.
VANTAGENS - Como explica o urologista Jim A. Smith, "a auto-felação é uma forma saudável de obtenção de prazer, assim como a masturbação, a 'masturbação a dois' e também o 'troca-troca'. Estas atividades costumam ser muito benéficas para a vida sexual, principalmente para o homem. Isso porque o homem dificilmente irá se abster do sexo em função de alguma prática solitária, enquanto que algumas mulheres, pelas dificuldades de obter prazer com seus parceiros, às vezes optam por se abter do sexo a dois. Mas na maioria dos casos, as práticas solitárias trazem grandes benefícios para os casais. No caso da auto-felação o grande ganho é ao mesmo tempo exercitar oralidade e 'genitalidade', com a possibilidade de permitir-se diferentes sensações e maior facilidade de criar intervalos durante todo o processo. Os homens que praticam esse 'exercício' geralmente fortalecem um auto-controle saudável, porque a auto-felação oferece um melhor conhecimento dos limites e possibilidades do seu organismo, com maiores opções de prolongamento do prazer e diferenças de intensidade do orgasmo, o que acaba servindo de auxilío na vida a dois. A auto-felação é uma das melhores formas de o homem chegar a um auto-conhecimento de suas possibilidades sexuais e do controle sobre a ejaculação, podendo oferecer muito mais prazer à sua parceira, e é também uma forma de a mulher exercitar sua sexualidade, desde que não abstenha-se das relações a dois, e utilize seus novos conhecimentos como elementos para o prazer com o parceiro."
Segundo o relato de pacientes homens em consultórios de psicoterapia, a auto-felação tem promovido também a diminuição da ansiedade durante o ato sexual e aumento na auto-estima. Os médicos identificam ainda que a auto-felação pode ser recomendável para alguns casos de pacientes que tenham dificuldade de manter a ereção.
Segundo o psicólogo Willian Atkins "o mais importante nessa prática é a possibilidade de utilizar diferentes formas de obter prazer, perceber sua sensibilidade maior para uma ou outra forma, e assim poder sugerir ao seu par sexual que o faça, quando nas preliminares do ato sexual. De uma maneira geral, toda prática solitária pode servir como ingrediente ou estimulante para uma boa relação sexual, desde que seus praticantes não tenham vergonha de relatar ao par sobre sua prática ou sobre quais suas preferências para a obtenção de prazer."
VERDADES - Um das "crenças" verdadeiras é a de que nem todos os homens e mulheres são capazes de praticar a auto-felação, já que este seria um "exercício" muito difícil para o indivíduo comum. Os homens que se utilizam deste tipo de prazer, de uma forma geral, têm que possuir uma grande flexibilidade. O mesmo precisa ser com as mulheres, já que nem todas são capazes de flexionar-se o suficiente para uma atividade que exige uma forte curvatura da coluna.
Ao serem abordados sobre o assunto, cinco especialistas em educação física, de forma unânime, recomendaram que uma "performance" como esta requer muito cuidado e uma preparação rigorosa. Como explica o professor Jonah Hilton, "é necessária uma inclinação muito acentuada da coluna, o que pode causar desde desconforto muscular até a fratura de alguma vértebra; daí que uma pessoa que tenha interesse nesta prática, necessitaria antes um preparo físico especializado, com muitas aulas de alongamento, ou ginástica contendo um exercício onde a pessoa mantém as pernas esticadas e leva os joelhos até a testa, fazendo várias seções dessas e também outros exercícios diários para fortalecer a musculatura ao redor da coluna."
Antigos estudos de Kinsey apontaram que apenas 3 em cada mil homens conseguiam se utilizar da auto-felação, sendo que mais de 900 costumavam fazer várias tentativas frustradas. Segundo o psicólogo Vincent Prone Jr., este panorama não mudou tanto nos dias de hoje. "No consultório é muito mais comum o relato de homens com interesse na prática do que as mulheres. Homens das mais diversas faixas etárias tem interesse na auto-felação por diferentes motivos, como: curiosidade, tentativa de melhorar o controle sobre a ejaculação e vontade de aumentar as possibilidades de prazer. No entanto, poucos são os que possuem 'elasticidade' para a prática, e os que não conseguem costumam relatar várias tentativas. Uma pesquisa feita entre os meus pacientes apontou que 98% dos homens demonstravam interesse pela prática, mas que somente 1% conseguia concretizá-la. Destes, a maioria afirmou ter o pênis muito longo, e que por isso teoricamente teriam maior facilidade para se utilizar da auto-felação, ainda que alguns dos que afirmaram ter pênis pequenos também tenham alcançado êxito nessa prática. De fato, um pênis com proporções acima da média ajuda na prática, mas também uma coluna flexível, e a flexibilidade pode ser adquirida, por exemplo, com exercícios da yoga ou alguns tipos de musculação. De qualquer forma, é bom lembrar que as pessoas precisam ter muito cuidado, e não devem ultrapassar seus limites. Já ouvi relatos de homens que faleceram com pescoço quebrado, devido à ansiedade em praticar a auto-felação."
ORALIDADE - Por ser um "exercício oral", a auto-felação pode auxiliar a oralidade do homem e da mulher a tornar-se mais seletiva e minuciosa, fazendo com que ao mesmo tempo se experimente e atue nas várias diferenciações e intensidades do próprio prazer. No caso do homem, ao utilizar-se desse conhecimento, pode oferecer melhores sensações ao seu par sexual, ajudando em muito às dificuldades de obter prazer que as mulheres costumam relatar nos consultórios de psicologia. O psicólgo Richard Livingstone explica que "os homens que praticam 'auto-felatio' podem ter maior facilidade para criar variações agradáveis durante um beijo, e dessa forma proporcionar uma maior sensibilização da parceira para o ato sexual. Além disso, é comum que outras preliminares tornem-se mais criativas e prazerosas para ambos. Muitas vezes o homem perde a inibição em praticar o sexo oral na mulher, e dessa forma às vezes oferece um prazer tão intenso e prolongado quanto oferecia a si mesmo durante o 'auto-fetatio'. O mesmo ocorre também com algumas mulheres que praticam o 'auto-felatio' e depois sentem-se mais à vontade para praticar sexo oral no parceiro, criando diferenças de velocidade, e podendo prolongar em muito essa atividade, intensificando o prazer de ambos. Não é incomum os pacientes relatarem que tentam se utilizar de sua experiência solitária para atuar melhor com seu par, ainda que os genitais e o tipo de prazer possam ser diferentes, mas a prática faz com que se conheçam melhor e aprendam novas formas de oferecer e sentir prazer. Os homens relatam que o auto-felatio serve para estimulá-los a experimentar preliminares diferenciadas, vencer inibições ou para prolongar a relação de forma mais satisfatória".
Entre os psicólogos que atendem casais em sessões separadas, é muito comum ouvir o relato de um prazer mais intenso durante o ato sexual. O terapeuta Alexandre Dimas conta que "homem e mulher atendidos separadamente relatam o mesmo tipo de melhoria na vida sexual que ocorre após a auto-felação masculina. Esse resultado positivo para ambos é em função de o homem praticar consigo mesmo, e, dessa forma, ter uma maior facilidade para utilizar o sexo oral na parceira, além de poder exercitar o controle da ejaculação frente a estimulos mais diferenciados. Algumas mulheres relatam uma melhoria não só na qualidade do sexo oral mas também nas carícias e no tempo de prolongamento de todas essas fases. Já a auto-felação feminina costuma ajudar a mulher a ficar menos ansiosa quando recebe o sexo oral por parte do parceiro, preparando-a melhor para se beneficiar desse tipo de prazer."
HISTÓRICO - A auto-felação está longe de ser uma prática recente na história da humanidade. Ao estudar mais profundamente o assunto, historiadores têm observado várias referências a ela, descrita como uma "arte" no antigo Egito. A arqueologia fez descobertas de hieróglifos e também antigas pinturas que retratam homens se utilizando da auto-felação, o que era visto na época como prática divina e recomendada. Segundo o acadêmico americano David Lorton, descobriu-se que muitos textos religiosos da mitologia egípcia apresentam a prática da auto felação mencionada e considerada como sagrada. Nos escritos encontra-se também a referência de que Ra, deus do Sol, teria criado o deuses Shu e Tefnut, após ter "chupado" a si mesmo e expelido seu sêmen no solo. Os historiadores explicam que muitos rituais de auto-felação foram realizados no Egito, e que aparentemente serviam para honrar o nascimento dos deuses Shu e Tefnut.
No entanto, enquanto a auto-felação era considerada parte normal e sagrada da vida egípcia há mais de 4 mil anos, a informação sobre a prática na atualidade tem sido amplamente reprimida devido ao seu caráter "ousado" para os "padrões culturais" contemporâneos. E devido à repressão vitoriana, muitas das pinturas que retratavam o ato da auto-felação foram deliberadamente destruídas e adjetivadas como "demoníacas", idéias estas que propagaram-se tornando esta prática um tabu dentro do imaginário coletivo atual.
VERDADES E MENTIRAS - Para finalizar este artigo, aqui estão algumas afirmações "inverídicas" sobre a auto-felação, que foram coletadas de depoimentos feitos por pacientes durante psicoterapias. Para complementar, incluímos as devidas explicações que se contrapõem a cada uma dessas afirmativas.
- Auto-felação vicia: Nunca foi registrado nenhum caso de "vício" ou "dependência" de um homem ou de uma mulher em relação a auto-felação. Pelo contrário, os que praticam a auto-felação costumam se sentir mais dispostos e aptos à prática sexual a dois e geralmente com menos ansiedade em relação a esta.
- Homem "de verdade" não faz isto: Se o homem for "de verdade", seja hetero ou homossexual, é muito provável que já tenha demonstrado algum interesse por essa prática. A última pesquisa mundial sobre o assunto apontou que entre a população global 89% dos homens já utilizou ou desejou se utilizar da auto-felação. E não há nenhum indício de "mudança" de orientação sexual causado por essa atividade.
- Somente egocêntricos e narcisistas gostam de praticá-la: Cerca de 90% de todos os praticantes de auto-felação tem bom relacionamento inter-pessoal, ou seja, costumam ser altamente sociáveis, compartilham com facilidade e tem relacionamentos de muita doação com seu par sexual.
- A auto-felação é uma prática puramente solitária: Como diz o próprio nome, a "auto-felação" é uma prática da pessoa em si mesma, daí uma atividade basicamente solitária, no entanto nem sempre ela ocorre desta forma. Tem crescido o número de casais hetero e homossexuais interessados em observar a auto-felação do parceiro, às vezes até utilizando-a como incremento a mais durante uma sessão de carícias preliminares. Além disso, de uma forma geral, tem aumentado muito o interesse das mulheres em observar os parceiros em atos "solitários".
- Só os loucos praticam isso: As pessoas sãs permitem-se ter mais prazer e aprendem a oferecer prazer ao parceiro sexual. E uma das formas de alcançar estes objetivos é através da auto-felação.
- Auto-felação não existe: Tanto existe que é praticada, em diversas idades e em diferentes meios sociais.
- Só os homens com pênis grande podem praticar: Não necessariamente. Como já dito aqui, a yoga, a ginástica e a musculação ajudam os homens a ter flexibilidade suficiente para esta prática, podendo ajudar os que tem pênis menores a também conseguir praticá-la, ainda que necessitem ter cuidado para não forçar demais a coluna.
- Auto-felação é imoral: A auto-felação não tem nada de imoral, pois não fere nehuma das regras de convivência social e respeito mútuo.
- A auto-felação nunca será socialmente aceita: A cada dia tem aumentado a quantidade de interessados na auto-felação, e são criados novos grupos especializados na prática. Alguns dos novos livros sobre educação sexual já integram a "auto-felação" como "categoria de masturbação". Ainda que pouco divulgado, nos Estados Unidos os sites dedicados a práticas "não-convencionais" como a auto-felação têm uma visitação diária bem expressiva, de pessoas de diferentes faixas etárias.
É verdade, no entanto, que a auto-felação continua sendo um dos maiores, senão o maior, dos tabus, e quando atrelado à sexualidade do homem há muitas pessoas que a confundem com a homossexualidade, e a proíbem, julgando que não se trate de uma prática masculina. Estas pessoas não sabem que a auto-felação é de fato um "exercício" geralmente benéfico, e que nada tem a ver com a orientação sexual. Mas é importante que a sociedade de forma geral venha demonstrando evoluir e começe a perceber essa realidade, fazendo com que a auto-felação seja vista cada vez mais como uma prática natural e saudável, e que ocorra de forma cada vez mais livre e sem receios por parte de quem a utiliza.
CONSIDERAÇÕES FINAIS - Apesar de ser um assunto ainda pouco abordado no meio científico, em relação a outros temas, podemos perceber diversas vantagens para a saúde e o bem estar que a auto-felação propicia, assim como outras práticas solitárias, que costumeiramente são mal vistas e condenadas por pessoas menos informadas. Esperamos ter auxiliado a muitos homens e mulheres que por temor ou vergonha não conseguem sequer comentar sobre esse tema com as pessoas mais próximas. Acima de tudo, é importante lembrar que todo tipo de prazer é válido, desde que não prejudique a um outro ser humano, e desde que a pessoa praticante respeite a si própria.

Fonte: http://www.fotolog.com.br/man_health

5 comentários:

Anônimo disse...

Eu li o seu Texto,e acho que não tem nada haver com a Homossexualidade qualquer um faz auto-felação independentemente da preferência sexual

Gabriel disse...

Eu li e achei interessante esse texto sobre auto-felação,não tem nada haver com homossexualidade,qualquer um faz essa prática sexual independentemente da preferência sexual.

Manoel disse...

Ola. Li o texto e não acho que auto felação tenha algo a ver com homosexualidade. Parabens pelos textos...parabens pelo blog.

Michael Freeman disse...

Eu já pratiquei a auto-felação quando tinha dezessete anos, durantes uns três meses mas, logo desinteressei por causa da dificuldade de flexionamento e por falta de estímulos por parte de parceiros. Depois que fiquei adulto e amadureci sexualmente tentei retornar à prática, não mais obtendo resultados.
Durante o tempo que pratiquei (eram as primeiras masturbações), vi que eram satisfatórias e as ejaculações eram bem aproveitadas e fortes, pois engolia todas elas. Até hoje engulo o esperma. Gosto do cheiro e do gosto. Algumas parceiras deixam engolir o esperma após ejacular nelas, principalmente na vagina.

Anônimo disse...

Eu pratico autofelacao a 42anos fui treinando ao longo desse tempo duas a tres dias por semana aperfeisoi a tecnica hoje consigo chupar inteiro da ponta ate pubis mesmo mole alhias gosto de colocar intero mole na boca pra sentir ele endurecer ja concigo ficar dentro da boca por ate 15minutos e indescritivel ja casei tenho filho nao sei se ele pratica. meu penis tem 14cm duro 6cm mle nao precisa ter grande so treina e desfrutar,pois e muito bom. va devagar nao tenha pressa faca no escuro assim vc nao ve assim concegue uns centimetros a mais a cada dia e pratique apos banho a noite ou sauna faca alongamentos assim os msculos seden mais ate a proxima.